Código do Receptor

Estes tópicos referem-se  principalmente a todos os Humanos em geral (terapeutas, inclusive), pois a nossa condição leva-nos a ser ou terapeutas ou receptores, consoantes as circunstâncias de espaço e de tempo.

Quando, na condição de receptor, consultar um terapeuta de técnicas complementares á medicina tradicional, lembre-se do seguinte:

1- A doença “pertence” ao Ser Humano, o corpo permitiu-a. Desta forma, vocé é responsável por ela e pelo seu desaparecimento. Mais: você é o único que o pode permitir. Por conseguinte, do ponto de vista pessoal, torna-se mais fácil você curar-se a si mesmo do que curar os outros, pois tudo depende de si.

2- Na autocura voce tem o controle total do seu próprio karma. Desde que ele fique a descoberto, não há possibilidade de essa situação continuar. Você irá aperceber-se do que há para libertar e, ao libertá-lo, o corpo curar-se-á por ter reencontrado o equilíbrio.

3- jamais obterá a cura do seu corpo limitando-se a esperar que a enfermidade desapareça! Não existe cura sem auto-transformação.

4- Antes de chegar á consulta, verbalizar, em voz alta o seu desejo de cura… mas sim de uma mudança: Querido corpo, dirijo-me a ti com respeito e sacralidade. Estamos juntos nesta vida, e juntos nos curaremos a nós próprios. Escolho seguir em frente com o nosso contrato. Juntos nos rejuvenesceremos e teremos o poder de atrasar a libertação da “hormona da morte”!… Expressar a intenção de auto-transformação constitui um poderoso catalisador para a cura. O que expressar verbalmente acabará por ser manifestado!

5- Nenhum terapeuta o cura seja o que for. Tudo o que ele poderá fazer é equilibrar a sua energia e permitir que seja você a auto-curar-se. Mas nem sempre o doente se permite curar-se. Essa é uma das razões por que alguns se curam e outros não, ainda que tenham sido submetidos á mesma técnica.

6- Não valorize demasiado os ensinamentos da doutrina que o terapeuta professa ou que adquiriu através das leituras que fez. Prefira aperceber-se da luz (vibração) que ele emana.

7- O terapeuta é apenas um Farol. Ele limita-se a iluminar através do grau de luz que consegue sustentar. A técnica é secundária.

8- O terapeuta não é responsável pelos doentes, quer se curem ou não. Ele apenas se responsabiliza pela integridade e pureza da energia que, enquanto terapeuta, consegue irradiar.

9- O terapeuta que o recebe não é responsável pelo seu contrato kármico e, portanto, pela doença que o leva até ele. A responsabilidade dele consiste, unicamente, em acender a luz quando você se encontra na escuridão, desequilibrado. Por outras palavras, você é o único responsável pela sua própria cura.

10- Procure receber a ajuda do terapeuta com o seu coração aberto, sem se preocupar como a cura opera e irá manifestar-se.

11- Aquilo que voce recebe do terapeuta -independentemente da técnica por ele utilizada- poderá consistir, simplesmente, em mais um passo para o seu equilíbrio. Posteriormente, noutra ocasião, outro terapeuta guardará o resultado final da sua cura.

12- Um terapeuta, na realidade, não cura; aqueles que se dedicam á cura, só equilibram. Você, que se senta na sua frente, preparado para ser curado, é quem porta o poder da cura. Equilibrando, o terapeuta é, somente, o catalisador da sua cura.

13- Não há nada que um terapeuta, ou qualquer outra pessoa neste planeta, possa fazer para o curar, sem que você tenha manifestado essa intenção e dado o seu consentimento.

14- Não se esqueça de colaborar com o terapeuta para permitir que a sua cura possa acontecer.

15- São necessários dois para que a cura ocorra. A única coisa que o terapeuta faz é criar um equilíbrio que opera como catalisador de cura.

16- Comece por pensar no seu corpo como “nós”, em vez de pensar nele como algo separado da sua consciencia. O Humano da Nova Era vê todas as partes como uma só. Isto é fundamental para quem deseja viver muito tempo!

17- É o receptor que decide se o equilíbrio recebido é suficiente ou não para prosseguir rumo á cura. Sim, é uma questão de livre-arbítrio.

18- A sua cura tem a ver com coisas aparentemente não biológicas, tais como situações de conflito, inveja, ciúmes, falta de auto-estima, etc. Lembre-se de que as suas células conhecem tudo isso.

19- Considere se você faz parte daquele grupo de pessoas que mudam de terapeuta (classificando-o de incompetente) quando a cura não ocorre ao fim de 2 ou 3 sessões. Se lhe pareceu que a energia não actuou, talvez você ainda não estivesse preparado, talvez o momento não fosse o mais conveniente, talvez não tivesse expressado uma clara intenção de cura ou o seu caminho individual ainda não estivesse pronto para experimentar a sabedoria do “corpo como um todo”. Então, espere e volte ao tratamento. Jamais abandone a ajuda totalmente.

20- Quando estiver envolvido num tratamento, lembre-se de considerar como te vindo a ser o seu comportamento físico, emocional, mental e espiritual -isso que, afinal, gerou a doença. Se não o fizer, continuará no seu caminho “doentio” por ainda não se ter decidido a abrir a compaixão para se curar. A doença desaparece e jamais voltará, desde que a sua causa tenha sido eliminada.

21- Evite dizer ao terapeuta: “Trate do assunto”. Consciencialize-se de que tem de se transformar e autorizar o seu corpo a curar-se; tem de dar licença a si mesma para que as ervas, as cores, os sons, os aromas, enfim, os vários tipos de vibrações energéticas, funcionem.

22- Se o receptor está a vibrar a um nível alto e deu permissão para a cura, o terapeuta, que faz o trabalho de energia sobre ele, terá milagres maravilhosos garantidos.

23- Os que podem auto-curar-se são os que estão a vibrar a um alto nível, são os que entendem que a consciência pode mudar o corpo físico.

24- A cura e o milagre vêm de dentro de si, da essência do nível celular, como por ‘magia”. O pedido de que Deus o brinde com um milagre é, em realidade, um pedido a si mesmo. Peça á sua própria estrutura celular que crie esse milagre. Portanto, não há nenhuma fonte externa; há revelação através do equilíbrio e da consciência – uma verdade totalizadora que milagrosamente o cura-.

25- Se uma alma sente que ainda não aprendeu a lição, recusará a oportunidade de utilizar o Poder para eliminar a doença. O trabalho de cura só ocorre quando a autorização é aceite -de imediato ou na próxima vez que a doença surgir-.

26- Jamais diga que o “trabalho energético” do seu terapeuta devia de ser grátis. Afinal tudo é energia!

27- O seu terapeuta é um profissional. Como qualquer outro, tem o direito de cobrar pelo seu trabalho.

28- Quando algo o irritar ou causar dor examine porquê.

29- Finalmente, jamais se esqueça do seguinte: o trabalho do terapeuta é ajudar os seres humanos a auto-equilibrarem-se para poderem gerar saúde. Assim, a saúde é criada pelo Humano a partir do poder espiritual interno do Eu Superior. O trabalho do terapeuta é ajudar no processo, através de mecanismos, substâncias e informações que permitam o equilíbrio. A cura requer que os dois lados trabalhem juntos. O terapeuta cria o “impulso” para ajudar o equilíbrio. Quando você dá autorização para que aconteça esse equilíbrio, cria a verdadeira cura em si mesmo!

30- Aconteça o que acontecer, lembre-se de que tudo está certo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s