A minha história

Conrado López em Machu Picchu

Morando ainda na Espanha, com uma vida bem sucedida como “business man de gravata”que viajava por todo o país fazendo negócios com produtos de informática, entrei em contato com o Reiki e depois de ter sido invadido por essa energia amorosa, fui guiado a ser voluntário praticante de reiki em crianças com câncer no hospital La Paz em Madri. Após 2 anos de voluntariado, passando uns dias de descanso na casa da montanha em Somiedo (Asturias), enquanto desfrutava do espetáculo noturno das Perseidas -estrelas cadentes do mês de agosto-  meu coração me mostrou que as horas que dedicava aos outros era o momento mais feliz e satisfatório de toda uma semana e olhando as estrelas cadentes me comprometi com o Criador a seguir sempre as orientações do meu coração e servir da forma que for possível ao Bem Maior.

Sem saber, esse compromisso seria o começo de uma mágica viagem sem retorno que comecei aos 33 anos de idade.

Em 31 de dezembro daquele mesmo ano (2009), deixei meu trabalho, aluguei o apartamento que tantas alegrias tinha me oferecido e por amor o dia 03/03/2010 (333) mudei de continente e me instalei no Brasil. Nesta nova terra me reencontrei com pessoas maravilhosas que tornaram a minha vida mais leve, ajudaram a me conhecer melhor e redescobrir minhas capacidades co-criativas.

A vontade de satisfazer as necessidades do meu coração me levou a fazer formações em diferentes países, trabalhos da glândula pineal no Chile com Fresia Castro, A Reconexão com Eric Pearl em Buenos Aires, formação de Professor da Transformação Quântica da Consciência com Silvana da Cunha, Registros Akashicos com Alessandra Dipra, Thetahealing com a francesa Julie Morin e todo tipo de trabalho de auto-conhecimento que chegava aos meus ouvidos, trabalhos xamânicos, pleiadianos, arcturianos…

No dia 1 de novembro de 2012, participando do Kundalini Tour de Kryon, visitamos o santuário de Machu Picchu e atendendo as recomendações de Kryon, conectei meu coração com o coração de Gaia (Machu Picchu) e recebi uma pedra que estava no local, um presente muito especial dos “abuelos inkas”. Após esse dia, fui levado para lugares mágicos do Planeta. Em menos de 3 anos viajei aos cinco continentes, visitando mais de 20 países, buscando aprimorar o auto-conhecimento e me conectando com a ancestralidade dos locais visitados.

screen-shot-2017-02-14-at-12-52-09-am

Lugares mágicos como Hawaii com o Dr. Todd e o Coro Lemuriano em 21-12-2012, Ilha de Páscoa (equinócio março 2013), Ilha de Delhos (a casa de Apolo, solstício junho 2013), Tiwanacu e Lago Titicaca (equinócio setembro 2013), Chichen Itza com o Dr. Todd e o Coro da Compaixão (dezembro 2013), Egito (ano novo 2013), China, Tailânida, Argentina, Hong Kong, Bolívia, Dubai, Perú, Canadá, Espanha, Estados Unidos, Mt Shasta com Dr. Todd e o coro da Celebração (solstício junho 2014) e posteriormente ancorando o portal 7-7-7 no Círculo de Miami, um sagrado “Stonehenge”para os nativos americanos.

Em 2015, durante o equinócio de março, após participar do Coro da Criação com o Dr. Todd, enquanto visitava a montanha sagrada de Uluru, os ancestrais dessa terra carregaram uma energia especial noa pedra que tinha recebido em Machu Picchu e passaram a mensagem para eu deixar de pendurar a pedra no pescoço, pois eu era o seu portador, ela continuaria comigo mas não para mim. Passaram os meses e eu continuei levando a pedra por diferentes locais como Monserrat em Catalunha, Basílica do Pilar em Zaragoza, o Grand Canyon, Area 51 no deserto de Nevada nos Estados Unidos, os bosques de Sequoias no Yosemite Park, San Francisco, Silicon Valley e Los Angeles até que em setembro de 2015, durante o equinócio, foi resolvido o mistério da mágica pedra de Machu Picchu.

Seguindo orientações, organizamos uma viagem ao Peru com o intuito de passar o equinócio de setembro em Machu Picchu com um grupo de exatamente 21 pessoas e um xamã shipibo originário da selva amazônica que tinha conhecido em 1 de novembro de 2014 no Vale Sagrado (dois anos exatos após ter recebido a pedra). Sempre seguindo as orientações, no dia do equinócio (21), fazendo uma cerimônia aos pés da cidadela de Machu Picchu e frente aos Apus das montanhas, a pedra dos inkas que tinha sido recebida por um espanhol, foi entregue ao xamã, escolhido pelos “abuleis”como o representante dos  inkas.

Conrado López e Juan Carlos Quispe • Equinócio SET 2015 em Machu Picchu

Reconheço que foi um grande aprendizado entregar a pedra que tanto significava para mim. Mas a mensagem foi muito clara e direta, “a experiência humana é muito breve em comparação com a vida do Planeta e sempre é mais importante o Bem Maior de todos que o bem-estar pessoal de um indivíduo”. Naeque momento, deu-se uma grande cura nas feridas provocadas pelo antigo continente ao colonizar com a sua barbarie as Américas. Ainda no caminho, recebi a mensagem dos meus guias de que tudo tinha sido um teste para saber se eu estava realmente preparado para o próximo passo.

Continuando a aventura, fui levado a Israel com o Tour de Kryon “O Retorno dos Mestres” e cantamos em Tel Aviv o Coro da Paz com o Dr. Todd. Em seguida, passei o solstício de dezembro na Irlanda.

Depois da primeira visita a Egito em 2013, tive o chamado para organizar viagens aos locais sagrados do planeta, principalmente nas datas dos equinócios e solstícios quando a energia cósmica e telúrica é intensificada nos centros visitados.

As viagens são de auto-conhecimento e nelas os participantes costumam ter experiências transformadoras. Mas existe um fato mágico em cada qual: acontece que com cada aventura, o grupo interage e faz um serviço de recalibração energética para o próprio planeta. Sei que pode ser difícil de acreditar, mas essa é uma das minhas missões e, quando feito em grupo, tudo fica potencializado. Poderia contar casos incríveis das viagens que estamos realizando e os participantes são testemunhas de muitas delas, mas acho que quase daria para escrever um livro.

Seguindo orientações dos guias, em 2016 com um grupo de 13 pessoas passamos, o equinócio de março na Ilha de Páscoa, nos conectamos com a sabedoria da Lemúria e desfrutamos do eclipse de lua mais mágico e sincronizado que vivi até o dia de hoje.

Em junho de 2016 viaje para Arkansas para participar de voluntário e cantar no Coro Cristalino do Dr. Todd e em setembro levei um grupo ao Lago Titicaca para receber as energias do equinócio no enigmático e estelar portal de Aramu Muru e Tiwanacu.

No mesmo ano, passamos o mágico porta 11/11 no interior das pirâmides de Gizé com um grupo formado por 27 membros e finalizamos a nossa aventura no mágico oásis de Siwa.

Sinto que em cada uma dessas viagens, recebemos presentes e somos preparados para o cumprimento de nossa missão na Terra.

Em 2017, assim que começou o ano, veio um impulso forte dentro de mim de levar adiante e manifestar o Projeto Adam Kadmon. Trata-se de uma universidade espiritual, um espaço sagrado a exemplo do que fizeram os ancestrais deste planeta, que esteja sintonizado com as energias telúricas e cósmicas, permitindo ao ser humano se reconectar com a verdadeira essência de quem somos e compreender como viver a vida em plenitude e harmonia com o planeta, com os outros e principalmente consigo mesmo.

Conrado López

Aproveito para agradecer a todos os seres que participam desta mágica jornada que estou vivendo, sinto que sem vocês a vida teria sido muito diferente, por isso, eu agradeço e honro a todos e cada um de vocês, por ser como são, por me ajudar a crescer, a viver e em definitiva a ser quem realmente EU SOU.

screen-shot-2017-02-14-at-3-40-08-pm

Anúncios