O Milagre Eucarístico de Lanciano

Para quem ainda acha que as coisas não podem ser mudadas e têm dúvidas da capacidade de transformação que podemos experimentar em nossas vidas, vou apresentar para você um fenómeno de transmutação da matéria que aconteceu na Italia no século VIII e que a dia de hoje contínua surpreendendo a cientistas e estudiosos.

O Milagre Eucarístico de Lanciano ocorrido no século VIII, na cidade italiana de Lanciano, antigamente chamada de “Anciano”, foi a inexplicável transformação da hóstia em carne humana e do vinho em sangue humano, durante uma celebração litúrgica católica, sendo reconhecido como milagre pela Igreja Católica Apostólica Romana em 1574 e por diversos estudos científicos.

Relato

Tradição coloca o fato de em cerca de 700 d.C., como base em algumas evidências históricas, podemos assumir uma data entre 730 e 750 d.C; É portanto, o mais antigo milagre eucarístico entre os reconhecidos pela Igreja Católica. Os mais antigos registros escritos conhecido de um milagre, no entanto, remonta a 1586. Viviam no mosteiro de São Legoziano e Domiciano os monges de São Basílio. Um deles, que se sentia atormentado pela dúvida na crença católica da transubstanciação, segundo a tradição, durante uma missa, viu a hóstia, no momento do ato da consagração, converter-se em carne viva e o vinho em sangue vivo.

Em séculos posteriores, a igreja dos Santos Legonziano e Domiciano passou aos monges bizantinos beneditinos, depois para a franciscanos, que em 1252 começou a construção de uma nova igreja dedicada a São Francisco, sobre outra já existente. Eles viveram lá até o tempo de Napoleão, quando foram expulsos. Cerca de 150 anos mais tarde, eles regressaram e vive lá até hoje.

A Hóstia-carne permaneceu conservada, apresentando uma coloração ligeiramente escura, tornado-se rósea se iluminada pelo lado oposto, com uma aparência fibrosa; o sangue-vinho era de cor terrosa, entre amarelo e o ocre, coagulado em cinco fragmentos de formas e tamanhos diferentes. Inicialmente essas relíquias foram conservadas num tabernáculo de marfim e, a partir de 1713, até hoje, passaram a ser guardadas numa ostensório de prata, e o sangue, num cálice de cristal.

Reconhecimento e Comprovação

A partir de 1574, aos reconhecimentos eclesiásticos do milagre, acrescentaram-se pronunciamentos científicos. Em novembro de 1970 os Frades Menores Conventuais, sob cuja responsabilidade se encontravam as substâncias, submeteram-nas a análise científica que foi confiada aos Dr. Odoardo Linoli, Chefe de Serviço do Hospitais Reunidos de Arezzo e Livre Docente de Anatomia e de Histologia Patológica e de Química e Microscopia Clínica e ao professor Ruggero Bertelli, emérito de Economia na Universidade de Siena.

Após uma série de análises e constatações, o parecer foi publicado em “Quaderni Sclavo di diagnostica clinica e di laboratório”, 1971, fasc. 3, Grafiche Meini, Siena, afirmando tratar-se de um milagre comprovado e inexplicável, o documento diz ainda:

* A carne é carne verdadeira.

* O sangue é sangue verdadeira.

* A carne seria do tecido muscular do coração (contém, em seção, o miocárdio, endocárdio, o nervo vago e, no considerável       espessor do miocárdio, o ventrículo cardíaco esquerdo).

* A carne e o sangue seriam do mesmo tipo sangüíneo (AB) e pertencem à espécie humana.

* No sangue teriam sido encontrados, além das proteínas normais, os minerais cloreto, fósforo, magnésio, potássio, sódio e cálcio. As proteínas observadas no sangue teriam sido encontradas normalmente fracionadas em percentagem a respeito das situação seroproteínica do sangue vivo normal. Ou, seja, é sangue de uma pessoa viva.

* A conservação da carne e do sangue, deixados em estado natural por doze séculos e expostos à ação de agentes físicos, atmosféricos e biológicos constituiria um fenômeno extraordinário.

* Outro fato interessante é que os cinco fragmentos, ao serem pesados têm exatamente o mesmo peso, não importa a combinação com que se pese. Por exemplo, tanto faz pesar um, dois ou todos fragmentos juntos, eles têm o mesmo peso.

Supõe-se que o sangue “AB” é o tipo de sangue encontrado no Santo Sudário. Este tipo de sangue é muito comum no povo Judeu, em Israel.

O Milagre Eucarístico de Lanciano é considerado um dos mais famosos milagres eucarísticos relatados pela Igreja Católica, porém não é o único: aproximadamente 130 milagres eucarísticos foram relatados. Conta-se que na cidade de Cássia, na Itália também já aconteceu um fenômeno parecido.

-Texto extraído integramente de Wikipedia-

Milagre_Eucar%C3%ADstico_de_Lanciano

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s